leonardo-vinci-criatividade

9 de outubro de 2020, 0 Comments

CRIATIVIDADE 7 coisas que Leonardo da Vinci pode ensinar sobre criatividade

A criatividade é uma das qualidades mais desejadas em profissionais atualmente, o problema é que em alguns casos é complicado trazê-la à tona. Nesses momentos, uma boa ideia é se inspirar em personalidades conhecidas por sua habilidade nessa área.

Uma das pessoas mais inspiradoras que você poderá encontrar sobre isso é Leonardo Da Vinci. O mestre italiano tinha muitas habilidades e grandes ideias, mas, além disso, tinha um diferencial: sabia olhar o mundo ao redor dele de uma maneira inovadora. Veja o que ele pode ensinar a você sobre ser criativo:

  1. Mantenha-se curioso

Por natureza, as crianças são curiosas, mas, à medida que crescem, muito dessa curiosidade se enfraquece. “Quase todas as crianças em seu estado natural fazem muitas perguntas. É assim que elas aprendem tanto nos primeiros cinco anos de vida. Mas, então, conforme crescem e vão para a escola, eles aprendem que as respostas são mais importantes que as questões”, diz Gelb. Gênios, como Da Vinci, no entanto, mantêm a curiosidade apaixonada por toda a vida.

  1. Tenha pensamento independente

Diversidade é fundamental para a criatividade e para a inovação. Por isso, é sempre importante buscar pontos de vista diferentes do seu e da convenção estabelecida. Da Vinci nunca se contentava com as convenções da sociedade, sempre ia além, buscando novas perspectivas para um fato já conhecido. Fazendo isso, você se tornará mais experiente e terá mais chances de desenvolver sua própria opinião.

  1. Apure os sentidos

No mundo profissional isso pode ser traduzido como ouvir bem e ser observador, conselhos simples, mas difíceis de serem cumpridos em um mundo cada vez mais disperso. Embora muitos profissionais tenham dificuldade em desenvolver essa habilidade, é muito simples fazer isso se inspirando em Da Vinci: Ouvir música, apreciar a arte, degustar vinho ou chocolate, bem como escrever poesia, são atividades que fazer parte desse processo de apurar a mente e os sentidos.

  1. Abrace a iIncerteza

A capacidade de projetar confiança frente a situações desconhecidas é fundamental para que você se sinta confortável com a incerteza e deixe as ideias criativas surgirem. Porém, esse é um exercício complexo, porque atualmente o fato de não saber indica um defeito. Se esse é o seu caso, inspire-se em Da Vinci e aceite a dúvida como impulso para uma nova criação e não faça as coisas sempre do mesmo jeito.

  1. Equilíbrio entre lógica e imaginação

As pessoas costumavam se separar entre “pensadores do lado direito do cérebro” (criativo, imaginativo, intuitivo) ou “pensadores do lado esquerdo do cérebro” (lógico, analítico e linear). Hoje você tem que ser os dois.

Para mostrar às pessoas como usar os dois hemisférios do cérebro em harmonia, Gelb ensina o mapeamento da mente, uma forma de organizar as ideias que integra a lógica e a imaginação e ajuda as pessoas a gerar ideias mais em menos tempo.

Para fazer isso, você começa a desenhar algo que represente o tema que você está pensando. A partir daí você usa a associação livre de palavras filiais e mais fotos da imagem central. Por exemplo, um rabisco de uma cebola pode fazer você pensar em vegetais, para que você desenhe uma cenoura, o que faz você tirar um coelho, o que leva a você esboçar um gato, uma vez que é outro pequeno animal peludo.

“Você começa a acessar essa qualidade mais infantil onde você acabou de desenhar sem se preocupar com isso. Que está acontecendo quando você faz isso é que você está acordando as partes do seu cérebro que estiveram dormentes desde que você estava na escola maternal. E essas são exatamente as partes de seu cérebro que vão ajudá-lo a ser mais criativo”, ressalta.

  1. Equilíbrio entre corpo e mente

Você sabia que Leonardo era um atleta excepcional, amplamente conhecido como o homem mais forte em Florença, um atleta talentoso, esgrimista e cavaleiro?

“Achamos que a criatividade é como um exercício intelectual, mas que exige uma energia tremenda. Aprender a cultivar a sua força vital, sua energia vital, é uma parte muito importante do processo”, diz Gelb.

Para as empresas isso significa que as organizações mais saudáveis â??â??estão mais bem equipadas para inovar.

  1. Faça novas conexões

Tipos de pensadores lógicos e lineares — engenheiros, analistas e cientistas, por exemplo — podem ter dificuldade em olhar para os padrões e novas conexões, mas fazê-lo é a chave para a criatividade.

Novamente, Gelb gosta de usar mapas mentais, embora demorar um pouco para treinar estes tipos de pessoas, uma vez que estão acostumadas a fazer as coisas em uma ordem formal.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *