migração de sites de seo

7 de outubro de 2020, 0 Comments

Lista de verificação de migração de sites de seo: como migrar seu site e não perder tráfego

Planejando uma migração de site? Vamos ajudá-lo a tornar a transição o mais suave possível!
Uma migração de site mal implementada pode ser um desastre total para sua presença digital nos mecanismos de busca.
Em palavras, migrar seu site para um novo domínio ou estrutura de URL pode ser uma ótima sacada de negócios, mas se você esquecer de adquirir serviços de marketing digital de qualidade e levar em conta o fato de como os mecanismos de pesquisa reagirão a essa mudança, poderá ter grande fracasso no tráfego de pesquisa orgânica.
 Ao migrar um site, existem inúmeros fatores que podem aumentar ou diminuir o tráfego orgânico do seu site a longo prazo, incluindo:
 A tecnologia constante do site (de uma tecnologia otimizada para mecanismos de pesquisa como PHP a uma tecnologia mais avançada e desafiadora como Node.js ou Angular); 

  •  Mudanças na estrutura da URL;
  • Velocidade do site (que se correlaciona positivamente com duas coisas: aumento do tráfego de mecanismos de pesquisa; aumento de conversões (e, é claro, ROI));
  •  Ligação interna;
  • Conteúdo do site (conteúdo na página, que é incrivelmente e  fundamental  para a classificação do seu site nos mecanismos de pesquisa);
  •  Layouts de modelo de página;

 Sitemaps. 

Como você pode ver, há muita coisa envolvida na migração do seu site, e é por isso que é melhor deixar esse ação para profissionais. É aqui que os serviços de otimização de mecanismos de busca de qualidade de uma empresa respeitável são úteis. 
Porém, antes de contratar um, é sempre uma boa idéia obter um entendimento básico de todo o processo de migração de sites, a fim de dar ao seu empreendimento uma vantagem competitiva em relação aos seus concorrentes. 
 Aqui está uma lista de verificação infalível que ajudará você a migrar seu site de um domínio para outro sem perder tráfego:

1.  Considere cuidadosamente se a migração do site é a decisão certa

Uma migração de site geralmente oferece pouco ou nenhum benefício de SEO e quase não elimina penalidades nos mecanismos de pesquisa. Além disso, sempre resulta em uma perda temporária de tráfego, pois o Google demora para processar a alteração e atualizar seu índice de acordo.
É por isso que é sempre aconselhável realizar a migração com prudência, a fim de minimizar as flutuações de tráfego e ter seu site tratado favoravelmente pelo Google e outros mecanismos de pesquisa.

As empresas de marketing digital costumam usar a migração de sites para fazer certas melhorias em suas táticas de SEO, que incluem otimizar a estrutura do site, corrigir links quebrados, livrar-se de páginas desnecessárias e criar conteúdo atraente e sem plágio.

 2.  Migre sempre durante um período lento

Uma migração cuidadosamente planejada e monitorada não afetará o tráfego do site, mas é sempre bom ficar preparado para uma queda temporária. Tendo isso em mente, é melhor realizar a migração durante a parte lenta do ano, presumindo que haja alguma regularidade no desempenho do seu site. Por exemplo, migrar seu site durante ou antes dos feriados é sempre uma má ideia. 

3.  Não se esqueça de rastrear seu site antes da migração

É sempre uma boa ideia rastrear seu site antes de começar o processo de migração. Você pode fazer isso usando uma ferramenta como Screaming Frog e, sim, não esqueça de salvar o rastreamento para mais tarde. 
Se possível, monte uma lista completa dos URLs existentes no site antigo para garantir que nada se perca como resultado da transição. Isso ajudará você a identificar erros de rastreamento e redirecionamentos (ou links quebrados) existentes no site anterior, que tendem a aumentar com o tempo.
Durante o processo de migração, caso encontre links que apontem para páginas de erro 404, você deve absolutamente removê-los ou substituí-los. Além disso, é altamente recomendável atualizar todos os links que apontam para páginas redirecionadas, a fim de fazê-los apontar para a página final. Você não gostaria de acabar com as cadeias de redirecionamento após a migração, não é?

  4.  Compare seus dados analíticos

Lembre-se de que um rastreamento do site pode não ser capaz de identificar todas as páginas do seu site. Por exemplo, as páginas que não estão vinculadas de outras páginas do seu site não serão exibidas em um rastreamento. 
Para encontrar essas páginas, você pode acessar seus próprios registros ou bancos de dados, mas, se isso não for possível, você pode obter ajuda do Google Analytics ou de um explorador de links como o Ahrefs.
Se possível, crie uma cópia dos seus dados do Google Analytics, conforme necessário para identificar rapidamente se algum tráfego é perdido após a migração. Se você tiver uma perda notável no tráfego do site, sempre poderá exportar os dados do Google Analytics do seu novo site e fazer uma comparação lado a lado com os dados do site anterior. Isso ajudará você a identificar com precisão quais páginas perderam o tráfego 

 5.  Resolver problemas de conteúdo duplicado

Vários erros durante o processo de migração do site podem resultar em problemas de conteúdo duplicado. Seja cauteloso com esses problemas e siga as etapas subseqüentes para evitá-los:
O problema da duplicação de conteúdo surge quando as duas versões do seu site estão ativas. Se a autocanicalização já estiver implementada corretamente, isso não deve ser um problema. No entanto, é sempre recomendável configurar regras de redirecionamento em “.htaccess” para garantir que apenas uma versão da página esteja acessível.

  • Verifique se os endereços IP são redirecionados para URLs.
  • Procure pastas (especialmente as padrão) que levam ao mesmo conteúdo.
  • Verifique se apenas HTTPS ou HTTP é usado, se a versão www ou não www do site está acessível e se o restante deve ser redirecionado para o site apropriado.

Empacotando
No geral, se uma migração de site for realizada sem considerar o SEO, você poderá perder uma quantidade substancial de tráfego do mecanismo de pesquisa no processo.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *